Cilindros de oxigênio e sua importância no tratamento de pacientes com Covid-19

27 maio
Categorias: tipos de cilindros

Entenda porque os cilindros podem salvar vidas na pandemia

Com a pandemia de Covid-19, muitos equipamentos que já eram importantes na indústria ganharam ainda mais notoriedade por serem agora essenciais para a sobrevivência de milhares de pessoas nos hospitais do Brasil. Entre eles está o cilindros de oxigênio que começou até mesmo a faltar nos estoques de hospitais.

Um caso que ficou conhecido nos últimos meses foi o de Manaus, que a falta destes cilindros levou a cidade à um cenário de caos, pois com recordes de casos de Covid a cidade precisou enviar pacientes para outros estados que tinham estoques de cilindro. a importância desse equipamento e seu abastecimento tem afetado a rotina dos fabricantes, fornecedores e usuário.

O oxigênio é essencial para a sobrevivência humana, sem ele, as células do nosso corpo não funcionam nos levando à morte. O coronavírus Sars-Cov-2, que causa a Covid-19, provoca uma inflamação no pulmão da pessoa infectada, fazendo com que ele não consiga mais transferir oxigênio o bastante para que a pessoa possa respirar para dentro do sangue e das células. Quando isso acontece, a saturação de oxigênio, que é a concentração do mesmo no sangue, começa a cair, seu normal é de 99% a 95%, se está abaixo disso a pessoa não consegue respirar direito e a intubação se torna necessária para manter a sobrevida do paciente. É nesse momento que os cilindros de oxigênio entram em ação.

E como esse oxigênio é fabricado?

Em um ambiente normal a porcentagem de oxigênio que existe no ar e entra no pulmão e de 21%, então cada 100 litros de ar que uma pessoa respira, 21 litros são de oxigênio e o restante outros gases

A forma mais comum consiste em extrair o oxigênio do ar, que tem em sua composição 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e uma mistura de outros gases. após a extração esses componentes são separados em um processo onde os gases do ar são transformado em forma líquida, abaixando a temperatura do ar em pelo menos -200 graus Celsius.

Depois dessas etapas o que sobra junto ao oxigênio é destilado para o elemento ficar em seu estado puro. Esse oxigênio tem aplicação medicinal e também pode ser utilizado na indústria, acondicionado em cilindros, o verde (medicinal) e o preto (industrial). A diferença entre os dois tipos é que no caso do oxigênio industrial, geralmente há uma pureza menor, da ordem de 95%, ao contrário do medicinal com uma pureza maior e saudável para o uso humano, no mínimo 99,5% de pureza.

Após sua fabricação esse processo é todo acompanhado por um químico que vai verificar todos os requisitos necessários até o acondicionamento do oxigênio no cilindro. A Gifel pode ajudar você a escolher o melhor modelo para a sua aplicação com apoio de profissionais especialistas no assunto. Entre em contato e tire suas dúvidas.

Curta essa página

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *