Analisando os AGENTES LIMPOS e suas DIFERENÇAS.

29 out

Mesmo sendo uma opção sustentável e economicamente viável, os sistemas que utilizam agentes limpos possuem suas peculiaridades. Entenda melhor as diferenças entre os que utilizam agentes químicos (gases halogenados) e aqueles que utilizam gases inertes.

Existe uma diversidade de agentes extintores, cada um deles com um tipo diferente de ação e características que definem sua aplicação e apresentam prós e contras. Encontrar o tipo de agente supressor ideal para sua necessidade vai depender do tipo de risco em estudo.

Quando a situação exige um agente que não deixe resíduos, danifique o bem que se deseja proteger ou contamine o ambiente, é imperativo o uso de agentes extintores limpos.

Seu principal uso é na proteção de ambientes que possuem equipamentos sensíveis ou de elevado valor e que podem ser danificados pelo uso dos agentes tradicionais como a água, pó, etc., como Datacenters, Museus, Pinacotecas, arquivos de documentos.

Estes agentes, contudo, não devem ser utilizados em incêndios contendo materiais radioativos, substâncias químicas como nitrato de celulose, materiais reativos e pirofóricos, como lítio, magnésio etc.

Um especialista deve ser consultado para avaliar a adequação do agente ao risco que se deseja proteger.

Sua aplicação deve ser sempre baseada em critérios técnicos de modo a obter a proteção adequada com segurança para as pessoas e otimizar a relação custo/benefício.

Tipos de agentes limpos e suas diferenças

Os agentes limpos, são um grupo de produtos voláteis ou em estado gasoso, que não conduzem eletricidade, não deixando resíduos após sua aplicação. Estes agentes se dividem em duas famílias.

Os agentes INERTES, constituídos pelos gases inertes como Nitrogênio, Argônio ou a mistura destes, (um dos produtos possui uma pequena quantidade de CO2 em sua composição), e os agentes QUIMICOS, constituídos por gases halogenados (aqueles que em sua composição apresentam um ou mais dos elementos Fluor, Cloro, Bromo e Iodo).

Os agentes de ambos os grupos, enquadrados na NFPA-2001, são aprovados para uso em áreas normalmente ocupadas.

Além de não deixarem resíduos, esses agentes têm a vantagem de não atacarem a camada de ozônio, ou de breve sobrevida na atmosfera e de não reagirem com a maioria dos materiais de construção.

No entanto, certos cuidados devem ser tomados pois alguns são considerados mais ecológicos do que outros.

No mundo dos agentes supressores limpos existem dois lados de uma mesma moeda, em um deles está o gás INERTE, que é um agente composto por gases como hélio, nitrogênio, argônio e às vezes dióxido de carbono, gases obtidos na própria NATUREZA, portanto existentes em nosso MEIO AMBIENTE.

Do outro lado estão as composições QUIMICAS, normalmente à base de elementos químicos da família dos halogenados como o Fluor e o Cloro e que compõem o que a Norma denomina Agentes Halogenados.

Podem também utilizar uma mistura de líquidos que é uma cetona fluorada que contém carbono, flúor e oxigênio, ou então podem ser armazenados como um gás comprimido liquefeito e é um composto de hidrofluorcarbono., que se utilizam algum tipo de substância química e podem deixar resíduos, mais fáceis de se limpar do que os extintores habituais, podem ser mais econômicos e menos prejudiciais ao meio ambiente, porém com algumas semelhanças aos agentes tradicionais.

Agentes de supressão de incêndio à base de produtos químicos são ótimos para extinção das chamas, mas nem sempre são bons para o meio ambiente, pois contribuem para a destruição da camada de ozônio, ou então são prejudiciais para a saúde humana. Por isso é tão importante ter o auxílio de um profissional na hora de escolher seu agente extintor, é ele quem vai poder mostrar o melhor caminho para o seu investimento e segurança.

Aplicações dos agentes limpos

Os sistemas que utilizam agentes devem necessariamente ser projetados e instalados em conformidade com os requisitos das Normas vigentes. Isto irá assegurar o melhor desempenho do sistema.

Entre os riscos em que a aplicação de agentes limpos é recomendada, encontramos.

  • Gabinetes elétricos
  • Mecanismos internos de turbinas eólicas
  • Museus
  • Data centers
  • Bibliotecas ou centros de arquivos

A Gifel pode ajudar você a escolher o melhor modelo para o seu empreendimento com apoio de profissionais especialistas no assunto. Entre em contato e tire suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *