Nossa História

1970

Detalhe da descarga de tubos de aço para a fabricação dos primeiros cilindros pela GIFEL em 1975.Há três décadas atrás, o Brasil vivia um período de efervescência contínua com a expansão e implantação de novas indústrias nos diversos ramos de atividade. A siderurgia avançava a passos gigantescos através da implantação de uma série de novas usinas, assim como se consolidava a indústria de petróleo com a construção de novas refinarias e complexos petroquímicos, acompanhados pelo parque industrial como um todo, dentro de um ambiente totalmente favorável do “Milagre Econômico”.

 

Dois amigos, colegas de trabalho  desde 1975 continuam firmes na  ativa em 2005 - 30 anos depois!

Tempos áureos aqueles, que também se mostraram cíclicos a partir de então. Neste período privilegiado, muitas empresas foram surgindo na esteira desta economia acelerada, entre elas a GIFEL, criada por um punhado de técnicos e profissionais especializados em sua área, voltada à proteção contra incêndio e preservação do meio ambiente, para atender a nova realidade aliada a todos os “bandeirantismos” possíveis e imagináveis para a época, conquistando uma posição de destaque no setor através de sua credibilidade que fazem com que permaneça ativa nos tempos atuais.

No início de sua atividades a GIFEL se estabeleceu na cidade de São Paulo, na Rua Lucerna, 210 na região de Santo Amaro.

Do começo da produção inicial da GIFEL podemos citar os seguintes exemplos:

1975 – Cilindros para o uso de gases permanentes, Oxigênio, Nitrogênio, Argônio, etc. Tornou-se fornecedora oficial da AGA, Oxigênio do Brasil e White Martins.

1976 – Cilindros para o uso em mascaras autônomas para a Draeger Lubeca, MSA do Brasil, padrão DOT 3AA (DOT – Department of Transportation).

Em 1978, criou-se junto a este grupo uma divisão de engenharia, que passaria a ser denominada “Engenharia de Incêndio” e visava a utilização dos cilindros fabricados pela GIFEL nas mais variadas aplicações.

Em 1978 foi criada a divisão de  ENGENHARIA de INCÊNDIO  abrindo um novo campo de trabalho.  Em 1978 foi criada a divisão de  ENGENHARIA de INCÊNDIO  abrindo um novo campo de trabalho.

O pioneirismo no campo da detecção, alarme e combate a incêndio em empreendimentos hidroelétricos contabiliza uma respeitável lista de usinas, a saber: as já citadas ITAIPU, Xingo e Tucuruí, às quais se somaram Corumbá, Ilha dos Pombos, Serra da Mesa, Nova Avanhandava, Rosana, Machadinho e Matala (em Angola).
Com o advento da GIFEL Engenharia foram projetados, fornecidos e instalados sistemas de detecção, alarme e combate em várias tecnologias, tais como Halon 1301, CO2, Inergen, água (water spray) e espuma.
CPD’s – Centro de Processamento de Dados, bibliotecas, salas fortes e outras instalações foram protegidas por estes sistemas. Alguns dos diversos CPD’s que receberam proteção GIFEL: Mercedes Benz-CO2, HSBC, EDS – Electronic Data Systems e Serasa-Inergen.

Conforme testemunho de técnicos da Volkswagen:  o diferencial da GIFEL é a participação ativa  nas pesquisas dando suporte técnico e logístico.A trajetória da GIFEL foi pontilhada por atividades pioneiras e inovadoras no campo automotivo onde a GIFEL colaborou diretamente nas pesquisas e no posterior fornecimento de material.

Alguns exemplos são descritos adiante. Já em 1979 foram fornecidos cilindros para o uso de GMV – Gás Metano Veicular, fornecido ao IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas da USP), gás originário do gás do lixo. Em 1981 num trabalho conjunto com a Volkswagen do Brasil foi desenvolvido e colocado em operação o primeiro caminhão movido a GMV.

1980

Em 1980 a GIFEL passou por Várzea Paulista, chegando enfim às suas instalações atuais em Cabreúva, também no estado de São Paulo.

Em 1988 é fundado o GBC – Grupo Brasiliero de Cilindros, que dentro da organização GIFEL passa a fabricar os cilindros, mantendo a tradição tão importante iniciada nos idos de 1975.

1980-1 1980-2 1980-3 Nossa História - 1980

Do começo da produção inicial da GIFEL podemos citar os seguintes exemplo da década de 80:

1980 – Tubulões de armazenamento, comprimento 8 metros, para a Oxigênio do Brasil.

A participação da GIFEL no desenvolvimento da  tecnologia de uso de gás para uso veicular é uma  contribuição importante para o domínio desta tecnologia.Um dos marcos da GIFEL no campo da proteção contra incêndio em grandes hidrogradores foi sem dúvida o fato de ter sido a responsável pelo fornecimento da proteção por gás carbônico, em especial aos 18 (dezoito) hidrogeradores de ITAIPU , assim como aos de XINGÓ e TUCURUÍ e muitos outros, e para as belonaves da Marinha Brasileira, revelando também o seu pioneirismo nas aprovações de seus equipamentos segundo as normas MIL STD.

Ainda em 1981 foi feita a primeira carreta de GN (Gás Natural) e cestas de armazenamento para a Petrobrás.

Em 1984, junto com a Sanepar, foi colocada em operação a primeira frota de carros movidos a GMV, empreitada feita em conjunto com a Rodagas e a Ermeto.

No mesmo ano, colaborando com a Dedini, foi realizado o projeto Methax de acionamento de veículos por Biogás proveniente do tratamento de resíduos da produção do álcool de cana de açúcar.

Hoje este pioneirismo continua com o fornecimento de cilindros para carretas bi-trem e de três eixos para o transporte de Gás Natural.

1980-6 1980-7 Nossa História - 1980

A GIFEL não ficou alheia aos projetos nucleares brasileiros tendo fornecido a proteção da Sala de Controle da Usina Nuclear de ANGRA II. Ainda na área de energia a GIFEL forneceu a proteção por Nitrogênio em transformadores, obra Gravatai.

Desde cedo ocorreu o desenvolvimento de projetos para a proteção a plataformas de perfuração e produção de petróleo, navios Cargueiros e Petroleiros da frota Nacional e belonaves da Marinha Brasileira.

1990

Sistema BKR 200 dimensionado e  instalado pela GIFEL Engenharia  específico para cozinhas.Produtos desenvolvidos pela GIFEL, como por exemplo o esguicho ACQUAFOAM patenteado junto ao INPI sob o número 7101463, e a sua participação ativa na extinção dos incêndios ocorridos na GRANEL QUÍMICA e PETROBRÁS REPLAN, consolidaram a sua reputação no meio de Segurança Contra Incêndios

 

 

Sistema A101 para veículos  fora de estrada dimensionado e  instalado pela GIFEL Engenharia.Tal performance porém não apenas reforçou sua posição no mercado interno, como também atraiu a atenção de empresas congêneres no exterior com as quais foram estabelecidos laços técnicos e comerciais, visando complementar a sua própria linha de fabricação, adicionando itens de maior elaboração e tecnologia agregada, trazendo ao país os mais recentes desenvolvimentos nesta área, e dessa maneira nos permitindo absorver tão necessária tecnologia de ponta.

 

Projetos para a proteção de  eclusas do Rio Tietê. Esta união com empresas como a MANDALS REBERBANE, a mais antiga e tradicional fabricante de mangueiras de incêndio e de teares para a sua produção, estabelecida na Noruega desde 1775 e a ANSUL dos Estados Unidos, detentora de produtos e patentes como o ANSULITE e INERGEN, ambas certificadas de acordo com a ISO 9001 e ISO 9002, respectivamente, nos leva a refletir sobre a importância de andarmos em boa companhia como forma de acesso permanente a novas tecnologias.

 

Pioneirismo renovado na  produção de canhões monitores com  controle remoto.Graças ao trabalho conjunto com a representada ANSUL a GIFEL Engenharia foi certificada para projetar e instalar sistemas para proteção de cozinhas e sistemas para proteção das gigantescas máquinas tipo “fora de estrada”, tanto caminhões como escavadeiras empregadas pelas mineradoras brasileiras.

Um grande e bem sucedido desafio foi o fornecimento, instalação e testes de comissionamento do sistema de proteção por canhões monitores lançadores de espuma das três eclusas fluviais que permitem a navegação no Rio Tietê: Jupiá, Ibitinga e Bariri. Outro desafio vencido foi a proteção através de canhões monitores de controle remoto instalados na unidade da REFAP no Rio Grande do Sul.

2000

Exemplos de empresas que nos honraram com seus pedidos:

Hoje em dia…

Hoje a GIFEL olha para o futuro com a confiança adquirida nestes trinta anos de trabalho árduo e de pioneirismo em várias áreas.

Hoje a GIFEL olha para o futuro com a confiança adquirida  nestes trinta anos de trabalho árduo  e de pioneirismo em várias áreas.